Segundo a Bíblia, é errado comer animais? Confira a resposta a esta dúvida de uma leitora da Aleteia.

“Sou católica, mas antes da minha conversão fui vegetariana e ainda continuo sendo, mas não sei o que a Igreja opina sobre isso. Eu não como carne porque me parece cruel a forma como tratam os animais e os assassinam, mas me disseram que Deus os criou para o nosso sustento. Poderiam me ajudar?”

Sobre o trato dispensado aos animais, o Catecismo da Igreja Católica trata do tema nos números 2415 a 2418. Não os repetirei, porque são de fácil acesso e a explicação do Catecismo é clara. Só acrescentarei alguns detalhes que, na minha opinião, podem ajudar a entender melhor o tema.

O primeiro ponto é um convite a observar a própria natureza do mundo e os seres que nele habitam. Os animais se alimentam de outros seres vivos: uns se alimentam de plantas; outros, de animais; e outros ainda (e nisso o homem não é exclusivo) se alimentam das duas coisas. Este é o processo natural; o homem é mais sofisticado, mas não essencialmente diferente.

Em segundo lugar, na Bíblia, tanto no Antigo Testamento quanto no Novo, não há absolutamente nada que indique um convite à dieta vegetariana. No Antigo Testamento há, sim, uma distinção entre animais puros e impuros, mas, ao mesmo tempo, os sacrifícios que Deus pede no seu templo são deanimais, e sempre se dá por descontado que os matam e comem. Inclusive a dieta mais austera que aparece, a de João Batista, estava composta de mel silvestre e gafanhotos.

A terceira consideração é que o vegetarianismo como exigência moral procede das religiões orientais, especialmente do hinduísmo. Mas tem pouco a ver com o apreço pelos animais – e muito a ver com a ideia da reencarnação.

Segundo esta crença, quem não consegue a meta ansiada da fusão com o infinito (nirvana), terá de reencarnar-se baixando de categoria segundo a carga negativa acumulada ao longo da vida pelo seu comportamento (carma), passando assim de homens a animais – e, dentro destes, a formas inferiores, se o carma for grande.

Neste contexto, matar um animal pode supor matar um espírito humano reencarnado, negando-lhe, assim, uma oportunidade de redimir sua vida. E é por isso que rejeitam a ideia de matar os animais ou comê-los.

Fonte: www.aleteia.org